terça-feira, 29 de setembro de 2015

Heroes Reborn


  

Cancelado em 2010 o sucesso da NBC, Heroes, teve uma segunda chance, por isso a nova série Heroes Reborn, que teve seu lançamento no último dia 24, alcançou altas expectativas, principalmente para os orfãos da série original.
 Essa postagem conterá SPOILERS sobre a série Heroes Reborn, porém se você não tem medo de spoilers, ou já assistiu aos episódios lançados, por favor me acompanhe.

 Antes de sua estréia Heroes Reborn ganhou um episódio que explica algumas histórias antecessoras ao lançamento.

 Em The Dark Matters, o episódio antecessor ao início da série, Phoebe e seu meio-irmão, Quentin, relatam as habilidades dela com uma filmadora (o que acaba por ter certa semelhança com a franquia de filmes Atividade Paranormal). Depois que a garota revela a seu irmão seus poderes as coisas começam a fugir do controle e o governo acaba por descobrir suas habilidades. E por isso Phoebe se envolve com a Renautas, que alega dar oportunidades para EVO's (seres humanos evoluídos).
 Então Odessa (uma cidade Texana) sofre um atentado terrorista, em 13 de junho, e as autoridades alegam que foram os EVO's quem o provocou, e Phoebe é inclusa na lista de terroristas.
 A partir daí Quentin começa uma jornada em busca de respostas.

 Num mundo pós 13 de junho, a proposta de Heroes Reborn é bem diferente da série original, mostrando uma trama que parece girar em torno de um propósito maior, que mudará o mundo, assim como mostrado na imagem promocional acima: "Um novo fenômeno começa" (em tradução livre). 
 Um ano após o ataque terrorista os EVO's não se pronunciam mais, eles se escondem, isso porque preferem fingir não existirem à realmente deixarem de existir.

 Um ponto que me alegrou muito foi como a nova atração tem personagens mais profundos, com passados marcantes, suas histórias chegam a ser mais vendáveis. As tramas correm de uma maneira muito mais rápida, dinâmica. Penso que enxugando o excesso de material desnecessário o show ganha muitos pontos com o público.

 Algo muito evidente é o preconceito sofrido pelos EVO's. E nesse caminho direcionado ao preconceito, penso que Heroes Reborn pode não somente entreter o público com conteúdo de qualidade como também alertar de que maneira essas descriminações e rotulações são prejudiciais à sociedade. Tais rotulações que na vida real são feitas por conta de classes sociais, cor, etnia, opção sexual, etc. Lembrando, todos tem o direito de ser como quiserem, entretanto nem todos tem tal opção, assim como no exemplo dos EVO's, que já nascem assim.

 Não irei mentir dizendo que não sinto falta de alguns dos antigos personagens, como Claire Bennet (lembrando que a Cheerleader quem teve a "brilhante" ideia de expor os poderes para o mundo), apesar de alguns papéis estarem sendo reprisados. A série parece ter um potencial gigantesco, se renovando e inovando com plots e personagens novos, até mesmo superando o de Heroes, mas claro essa é a base que tive dos dois primeiros episódio, espero que o restante da temporada siga a mesma linha. 

 E para encerrar um dos posteres promocionais da série. Acima mostrando Molly Walker.




Nenhum comentário: