quinta-feira, 23 de abril de 2015

Vingadores - Era de Ultron


 Na última quarta-feira (22/04) fui ao cinema assistir Vingadores - Era de Ultron. O longa já começa cheio de ação com os seis Vingadores em uma missão de resgate ao cetro de Loki, em uma base da H.I.D.R.A. na Sokovia. Dentro da base Tony se depara com algo que jamais viu em toda a sua vida, algo que poderia mudar a forma como o planeta funciona: inteligência artificial, quase humana.
 Com a ajuda de Bruce, Tony começa a se aprofundar no projeto para transforma-lo em uma arma que protegeria a Terra contra invasões e ataques externos. Porém tudo o que os cientistas não previam era que o projeto Ultron, seria tão avançado a ponto de criar vida própria e se voltar contra seus criadores.
 Agora em uma missão quase impossível Os Vingadores têm de derrotar um inimigo que não pode ser tocado, que é conectado à toda internet como um vírus que não pode ser contido.

SPOILERS 
 Quase tudo foi esplendido nesse segundo filme, porém algumas coisas não foram tão "agradáveis", me acompanhe para saber mais.
 Com certeza 98% desse filme superou minhas expectativas, com toda a ação necessária, um roteiro muito bem trabalhado, encaixando todos os outros filmes que se cruzam numa cronologia magnifica, efeitos especiais de cair o queixo, nada de pobreza ou algo que ridicularizasse uma cena, sem contar o tempero secreto que a Marvel investe em quase todas as suas receitas: o humor.

   Na imagem acima estão os principais motivos do meu desagrado em relação ao filme. Como vocês bem devem saber meu caros leitores e leitoras do Nós e a Estante o universo Marvel é simplesmente gigantesco, quase infinito.
 Para aqueles que não sabem do que estou dizendo resumidamente irei explicar. Wanda e Pietro Maximoff (imagem acima) são irmão gêmeos, filhos de Magda e Magneto, isso mesmo o mutante de X-Men que tem domínio sobre metais e é líder da Irmandade de Mutantes. Sendo assim meus caros os Maximoff são mutantes, e não "aprimorados" como são chamados.
 Existe um porquê de os dois não serem mutantes nem filhos de Magneto em Vingadores, acontece que o Universo X-Men e Quarteto Fantástico são por lei da FOX. Já Homem-Aranha por sua vez é da Sony Entertainment. E sendo assim Os Vingadores, Guardiões da Galáxia entre outros filmes que acabam se cruzando, pois são do mesmo universo são da Walt Disney Pictures.
 E por serem parte importante da história dos Vingadores os irmãos vieram para esse universo. Eu fico muito feliz que tenhamos contado com a presença dos dois, pois como fã da Marvel (e principalmente da Feiticeira Escarlate) não gostaria que os dois não aparecessem.
 Mesmo achando essa solução continuo desapontado, porquê nos quadrinhos Wolverine, o próprio Quarteto Fantástico, Homem-Aranha entre outros heróis participam do grupo Os Vingadores.
 Ainda que eu tenha feito esse texto reclamando, a atuação da Elizabeth Olsen e Aaron Johnson foram ótimas. Algumas pessoas disseram que Mercúrio teve um papel pouco influente no filme, mas eu achei que foi o necessário, dando mais espaço para sua irmã. Elizabeth arrasou dando vida a minha personagem preferida no universo. No início do lado oposto ao dos heróis, mais tarde ficando confusa em relação à que lado deveria ficar e então por fim se tornou uma personagem forte que ajudou a mudar o rumo da história.
 Se nesse segundo filme da franquia fui surpreendido de diversas maneiras mal sei o que esperar de Vingadores - Guerra Infinita Parte 1 e 2.
 Bom meus queridos leitores espero que tenham gostado. Deixem seus comentários e até a próxima!

Nenhum comentário: